29 de janeiro de 2013

Metropolitano de Lisboa


Hoje estava a iniciar a minha viagem sossegada e sem percalços no metro (sossegada e descansada, devido a que estando o metro cheio não corremos o risco de cair, temos sempre um corpo para amparar o nosso), e deparo-me com uma informação, afixada na parede, emitida pelos digníssimos “comandantes” do metropolitano.

Por momentos tive um espasmo cerebral, ao imaginar que a digníssima administração do metropolitano estaria a pedir desculpa por ter sistematicamente as escadas rolantes paradas, por avaria ou por opção própria.

Ou que estariam a informar que iam repor, pelo menos, o numero de metropolitanos a circular nas horas de ponte.

Ou que estariam a pedir desculpa pelo preço que cobram pelas viagens. Que iriam diminuir os privilégios que os membros da administração possuem, assim como o valor dos juros que pagam à banca, para aproximarem o preço das viagens de valores mais justos e em conformidade com os vencimentos que os Portugueses usufruem.

Por fim, disse para mim...

Na... eles estão a agradecer aos trabalhadores do metro pelo excelente trabalho que fazem, e que só devido a isso é que o metropolitano funciona e presta um verdadeiro serviço público, exceptuando o preço que custa, aos trabalhadores portugueses, cada viagem e o passe mensal.

De repente o meu espasmo cerebral terminou, e li a informação...

Informação que pedia desculpa aos utentes pelas sucessivas greves que têm afectado o serviço; Greves essas, segundo estes “patrões”, que eram culpa dos sindicatos que com estes actos queriam destruir o excelente serviço que prestam (deviam estar-se a referir ao trabalho dos administradores, pois se querem roubar os trabalhadores é porque eles não merecem o que ganham).

Enfim...

Estes Senhores deviam explicar aos utentes deste serviço público,

porque é que temos idosos, pessoas grávidas e pessoas com crianças ao colo, a subirem dezenas de degraus...

porque temos das viagens mais caras, na Europa...

porque pagam em juros, por volta do triplo do que pagam em salários aos trabalhadores do metro...

porque as sucessivas administrações, nomeadas pelos sucessivos governos PS, PSD e CDS têm gasto milhões em obras, que poderiam ser feitas com milhares...

porque...

Trabalhadores do metropolitano,

por mim podem e devem continuar a vossa luta contra os roubos que vos têm feito, e que querem continuar a fazer...

Por mim,

não me importo de andar a pé, em solidariedade com a vossa luta.
Não vou gastar parte do meu salário, diário, para apanhar um táxi... quando chegar cheguei...

Não liguem àqueles revoltados que falam, falam... e estão sempre dispostos a servirem de capachos aos patrões... que não têm “disponibilidade financeira para fazerem greves”, mas que têm para gastar em táxis para irem trabalhar...

Não liguem...

Pois estamos, como estamos... porque muitos destes apologistas da “critica burrica” votaram e colaboraram para estes sucessivos governos que têm roubado os nossos direitos...

Muitos destes andam de fato e gravata, mas os filhos passam fome por terem pais cobardes, que abdicaram de lutar pelos seus direitos...

Boa luta...
que eu vou entretendo-me a passear na nossa Lisboa, enquanto dirijo-me para o trabalho.

10 comentários:

Anónimo disse...

Obrigado pelo apoio!! É bom saber que existem clientes que entendem perfeitamente os objectivos das políticas deste miserável Conselho de Administração!

amostras-passatempos.blogspot.com disse...

Muito bom!!!!!

Anónimo disse...

Peço desculpa mas não concordo.
Não acredito que o metro tenha as viagens mais caras da Europa (mostra que não sabe o que diz), e mostra que não conhece os salários dos trabalhadores do Metropolitano, CP, Carris bem como as regalias para si e para as suas famílias.

Se as greves são sustentáveis?

Eu explico-lhe o mais sucintamente porque é que este tipo de greve não faz sentido.

Os passes estão pagos.
As carruagens paradas não gastam dinheiro (dinheiro que foi pago antecipadamente pelo utilizador)
Nos dias de greve os maquinistas não recebem (reduz o custo de mão de obra)
Os utilizadores que já pagaram os seus passes mensais, ficam prejudicados porque pagaram um serviço que não podem usufruir para ir trabalhar, ou seja, duplo pagamento pois terão de faltar ao trabalho ou pagar outro transporte.

Se existe uma solução?

Creio que sim. Digamos que seria uma solução inteligente.
O objectivo da greve é parar a produção para que os custos para a empresa aumentem sem que exista forma de vender o serviço. Como neste caso o serviço já foi maioritariamente pago, resta uma solução. Apenas os revisores/fiscais fazerem greve.

Isto significaria que, quem pagou o passe(que nada tem a ver com a greve e é quem sai prejudicado) tem exactamente o mesmo transporte.
Significa que nesse dia se poderia andar de Metro sem pagar bilhete (menos receita para a empresa).
Custos associados à electricidade e salários com maquinistas seria o mesmo.

Ou seja, a greve tem de ser pensada. Não é fazer greve por fazer. Tem o caso dos estivadores. Que durante meses pararam parte da exportação (motor da nossa economia) sem resultados. Porque as regras pelas quais lutavam, foram lançadas na mesma.

Anónimo disse...

vamos continuar a nossa LUTA

Formiga disse...

Anónimo 30/01/2013, 14:28:00
Tem todo o direito de não concordar, peço-lhe é que antes de não concordar ou concordar com algo informe-se… mas não se informe a “devorar” noticiários das nossas televisões e jornais generalistas, porque estes mais não fazem do que doutrinar com as ideias e pensamentos de um regime apologista da exploração de quem trabalha.
Se as greves são sustentáveis? As greves não são para serem sustentáveis, mas para lutar contra as injustiças e roubos de direitos.
Os “patrões” possuem muitas ferramentas ao seu dispor, leis feitas à sua imagem e semelhança, “bonecos” colocados em lugares de decisão e influência…
Os trabalhadores possuem somente uma ferramenta, que é a luta… sendo que a greve faz parte dessa luta…
A greve não é só para “incomodar” os “patrões”, a greve serve, também, para acordar o povo… serve para que o povo se deixe de olhar ao espelho e olhe para os outros trabalhadores.
Infelizmente muitos trabalhadores em vez de se revoltarem contra os “patrões” que criaram as circunstâncias para a necessidade de recorrer à luta, revoltam-se contra os trabalhadores que lutam pelos seus direitos e pelos direitos dos outros que ficam sentadinhos a fazer o papel de “opinadores”, mas que quando chega a altura de receber… correm como grandes velocipedistas.
Quanto ao valor dos transportes, é uma conta muito fácil de fazer… faça a percentagem do valor destes tendo em conta o salário mínimo nacional, e depois percorra os vários países da europa e faça a mesma conta… no fim veja onde é que é gasto a maior % do salário nos transportes.
Caro Sr. Se os nossos antepassados pensassem como o Sr, actualmente não tínhamos direito ao subsídio de natal, subsídio de férias, férias, subsídio de almoço, horário de 8 horas de trabalho… simplesmente ainda estaríamos na época da escravatura…
Por fim, fez-me lembrar aqueles iluminados que dizem “fazer um dia de greve não faço, se fosse uma semana fazia…”

Anónimo disse...

Antes de mais, obrigado pelo apoio.

Ao Sr. Anónimo 30/01/2013, 14:28:00 informe-se. Uma sugestão pergunte a um trabalhador porque faz greve, mas aqui vai um dos pequenos motivos.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=HKJL-lkxSf4

Draksfire disse...

Muito diria sobre greves e lutas. Deixo aqui dois excertos que escrevi em resposta a alguém que criticava as greves dos empregados do Metropolitano de Lisboa.

"Se os utentes fizessem greve (mas todos, sem excepção) quando os funcionários do Metro as fazem, para defenderem os seus direitos, de certeza estavam em melhor situação, eram menos roubados por este monte de corruptos que vive à conta de todos nós, e até talvez este governo já tivesse caído..."

"Quando lhes bater à porta, talvez então digam que aqueles tipos do Metro, que lutaram practicamente sozinhos até ao fim, sem nunca se renderem, afinal tinham razão..."

Bem hajas, Formiga, pela tua capacidade de discernimento.

Anónimo disse...

Ao sr anónimo que disse que não concordava, o que será que ele pensa das manifestações que têm levado à violência???? O que pensará esse dito anónimo da pancadaria e vergonha social que dai advém??? Bem tendo em conta de que as condições a que os trabalhadores do metropolitano estão sujeitos todos os dias, o trabalhar por turnos, fins de semana, feriados, natal e ano novo, até está bem atribuído. A razão das referidas greves deve se ao facto de que lhes estão a tirar o que já tinha sido adquirido no passado, vamos supor só supor que a este anónimo agora lhe retiravam parte das regalias até aqui adquiridas, a ele e todos os seus respectivos colegas de trabalho, será que ele iria dar pulos de alegria?????

Pense nisso sr anónimo porque ESTE ANÓNIMO APOIA OS TRABALHADOS EM GERAL.

Anónimo disse...

OBRIGADA Formiga!

Anónimo disse...

Obrigada Formiga.

Ao Sr. Anónimo 30/01/2013, 14:28:00.

http://www.youtube.com/watch?v=-KjuAssqKUY&feature=player_detailpage