20 de abril de 2012

UGT

No cinema Lumiar, em Lisboa, é criada a UGT, cujo Congresso Constitutivo teve lugar no Porto, nos dias 27 e 28 de Janeiro de 1979.

Cerca de um mês depois uma delegação do secretariado da UGT desloca-se aos EUA a convite da AFL-CIO.

Naquele mês de Janeiro de 1979 vêm a lume inúmeras referências à drenagem de dinheiro destinado a fomentar o divisionismo sindical.

No dia 4, a pergunta do jornal o Tempo

- «E como interpretar certos boatos de acordo com os quais a UGT receberia dinheiro da CIA?» mereceu a seguinte resposta de Torres Couto:
- «De qualquer maneira é certo que não se fazem omeletes sem ovos».

No dia 12, em declarações ao Jornal, Gonelha refere textualmente:
- «Pois bem, eu não escondo: quem tem apoiado parte das acções da UGT, somos nós, a José Fontana». (…) «O que se pode dizer é que da fraternidade e da solidariedade do SPD alemão, o Partido Socialista Português recebe colaboração e a ajuda para a José Fontana.

É a Fundação Friederich Ebert, é o Partido Social Democrata Alemão (…). Eles auxiliam apenas com o objectivo de que em Portugal se implante a democracia e os ideais do socialismo democrático». (…) E não põem qualquer condição».

No dia 16, o jornal O Diário refere que, em Frankfurt, numa reunião havida entre Gonelha e E. Kastleiner, membro da Presidência Federal do Sindicato da Indústria da Construção Civil, este ter garantido ajuda financeira à estrutura similar em Portugal, ligada à UGT.

Esta drenagem de dinheiro não se quedou no contexto do Congresso Constitutivo da UGT.

No rescaldo do II Congresso, o conhecido agente da CIA, Irving Brown, envia, da Suíça, um cheque de 10 000 dólares a Torres Couto, verba que subiu aos 30 000 contos em 1984, como prova da solidariedade da AFL-CIO e da Agência para o Desenvolvimento Internacional (AID), de acordo com declarações à NP, em 27/11/85, por Rui Oliveira e Costa, na altura dirigente da UGT.

Este valor pecava, certamente, por defeito, na medida em que, em 29/11/85, o Jornal, fazendo eco do Libération, divulgava que: «Algumas fontes estimam que o montante recebido pela UGT poderá atingir 800 mil dólares».

É neste círculo de amizades e de fluxos financeiros que se move a UGT, a organização sindical que subscreveu o acordo da troika.

Enquanto isso, existem trabalhadores a financiar quem rouba os seus direitos...

2 comentários:

Rogério Pereira disse...

União de Gente Tenebrosa?

Anónimo disse...

Curioso falar nos dinheiros recebidos pela UGT na sua fundação. a UGT não foi a unica a receber dinheiro. A CGTP também recebeu e ainda hoje, a custo de uma paz podre nas autarquias locais vai-se vendendo.
Carros das autarquias, pagos por todos nós, ao serviço das "lutas" da CGTP como se sabe na CM Almada.
Não seja tão tendencioso e sopre ao de leve na consciencia.